terça-feira, 22 de dezembro de 2009

SÓ NÃO É SEMPRE NATAL PORQUE O HOMEM NÃO QUER!


Naturalmente que me sinto, quase obrigado, a ter uma mensagem calorosa para com todos os amigos nesta quadra natalícia, não tanto pelo que ela possa representar em termos de religião, segundo as mais diversas crenças mas porque, sempre assim foi, por considerar o Natal uma festa da família; um evento de aproximação, de quem passa 364 dias por ano totalmente afastado, como se a comunhão familiar, amistosa e o reconhecimento aos indigentes, se opere unicamente uma vez em cada ano, como se isso seja suficiente para lavar as nossas consciências. Um dia, terá sempre 24 horas, o que torna o dia de Natal, temporalmente, igual a todos os outros, pelo que considero uma ignominia que cada um de nós se pretenda purificar, sei lá, merecer o paraíso, quando uma vez, e só uma vez por ano, nos lembramos que existem situações perfeitamente gritantes que nos passam todos os dias ao lado, só porque não é Natal.
Tenho andado um tanto arredado de escrever para os meus blogs, ainda que reconheça, humildemente, a sua menos valia, apesar de entender que não se pode agradar a Gregos e a Tróianos e que a cada um dos meus leitores cabe, inteiramente, o direito de ler e tirar as suas ilações mas, muito mais do que isso, de rebater as ideias explanadas, porque da discussão nasce a luz, sendo esta a verdadeira a essência da democracia, sem qual ela fenece e nos conduzirá ao ostracismo.
Estou desiludido, francamente desiludido, pela falácia que este país representa; os políticos deixam muito a desejar, digladiando-se por causas menores, sem se centrarem naquilo que é importante como, no tema central que seria o verdadeiro e real crescimento da economia sem sobrecarga de impostos, mas baseada numa política de desenvolvimento efectivo, proporcionando o bem-estar do povo.
Esta não é a realidade. Vivemos num mundo perfeitamente conturbado, da ganância desmedida, do lucro fácil, da mentira, da injustiça, da traição, da indiferença e nós, povo, até já nem somos melhores dos que os políticos aos quais tudo permitimos sem reagir, porque somos uns bananas que entramos nesta salada de frutas, sobejando-nos tão somente as cascas da fruta, que comemos avidamente como se não fossemos nós que lançamos a semente à terra, que a regamos e que a colhemos….
Que 2010 seja um ano de iluminação para os que tanto sofrem, que abram a pestana para contestar esta vilania que cada vez mais se abate sobre nós, porque as filhós, o bolo-rei, o bacalhau com couves e outros acepipes, pelos quais tanto nos esforçamos para ter na mesa na noite da consoada, e temos cada vez menos e muitos até nem têm, a não ser por caridade, não pode ser um direito exclusivo das classes dominantes, porque de há muitos anos a esta parte só nos tem tocado a fava.


FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!


SEI QUE PEÇO O IMPOSSIVEL NESTE PAÍS, COM GOVERNANTES DESTES, COM A CLASSE POLITICA QUE TEMOS, COM OS EMPRESÁRIOS QUE TEMOS E COM A MENTALIDADE QUE TEMOS MAS UMA MENSAGEM DE NATAL NÃO DIFERE MUITO DE ANO PARA ANO, AO CONTRÁRIO DA VONTADE DOS HOMENS QUE, QUANDO TIVEREM CAPACIDADE, TRANSFORMARÃO TODOS OS DIAS EM NATAIS.

2 comentários:

MF disse...

"...e nós, povo, já nem somos melhores que os políticos".

A verdadeira desgraça é essa. Somos todos indeferenciados. Ou quase todos...
Um abraço,

FF

MF disse...

É só para rectificar o indefe... pelo correcto indiferente...